Variedades

Viva o Sucesso

domingo, às 17h30
Dia 19 de novembro

Anitta e Gaby Amarantos contam suas histórias

É a vez de Anitta dançar, cantar e contar sua vida no “Viva o Sucesso”. Nos bastidores de um show realizado na Fundição Progresso, no Rio de Janeiro, em 20013, a intérprete de hits como “Show das Poderosas” comenta que foi uma batalha se firmar na carreira. O reconhecimento começou com um vídeo na internet: “Era pobre. Fiz Administração porque meu pai dizia que eu precisava de um emprego que me desse futuro. Mas a partir dos 16 anos abri mão de sair, de namorar, para me dedicar ao sonho de ser cantora. Fiz show de graça, já cantei até em cima de engradado de cerveja, de mesa de pingue-pongue e com microfone que dava choque”, conta. Com agenda lotada, ela revela ter grandes planos para o futuro, como ser conhecida internacionalmente.

 

O “Viva o Sucesso” (2013) entrevista também Gaby Amarantos, que não abriu mão de suas raízes para alcançar a fama. Ela conta que gosta de misturar a pluralidade de ritmos do Norte com influências de Wando e Clara Nunes. Apesar das críticas por cantar o estilo tecnobrega, ela insistiu e superou o preconceito. “Me sinto na missão de mostrar para as pessoas que ser brega é legal, é ser chique, é ser feliz. Vim com esse meu jeito de ser, com meus figurinos, com minha música e as pessoas foram se rendendo aos poucos”, afirma. Antes de ter suas músicas conhecidas no Brasil inteiro, Gaby gravava CDs e dava para os camelôs do Pará comercializarem. A cantora diz que mantém o pé no chão e que não se deslumbra com a fama.

Arquivo word Copiar texto